Raqqa-banner

SAT-7 e o ministério Luz para as Nações (LFAN) associaram-se e foram os primeiros a gravar um vídeo em Raqqa, na Síria, após a partida dos militantes do Estado Islâmico. Os dois parceiros coproduziram o documentário “Al Raqq: Entre o Ontem e o Hoje” e apresentaram uma mensagem de paz e solidariedade ao povo sírio.

Com transmissão pelo SAT-7 ÁRABE, o documentário apresenta várias e poderosas entrevistas com alguns sírios que estão morando no que restou do massacre.
Veículos carbonizados, distorcidos e tombados sucedem-se ao longo da rota utilizada pela equipe de TV. O pastor Nizar Shaheen, fundador e presidente do “Luz para as Nações”, disse: “Estou assustado com o nível de ruína e destruição e também com o cheiro de morte e de fogo. É uma cidade mortuária!”
Há corpos ainda soterrados nos escombros e destroços, bem como estirados ao longo das ruas, mas a produção não os colocou na tela. O propósito aqui é difundir a mensagem de paz e esperança, e não de terror.

ATROCIDADES NO CENTRO DA CIDADE
O Estado Islâmico deixou não somente os edifícios e as ruas de Raqqa em ruínas, mas também muitas de suas mulheres. Parado na Praça do Relógio, pastor Nizar Shaheen afirmou de forma solene que por 2 anos aquela cidade fora o centro de tráfico de mulheres yazidis e curdas. Os homens compravam meninas e mulheres a preços variados, com base em sua idade e beleza. As apresentadoras Maysaa Saloum, Lena Mehana e Sona, oraram por paz e cura a todas as meninas que vivenciaram aquele trauma.
Aquele mesmo local também foi palco de execuções públicas e exibição de cadáveres para aterrorizar a comunidade local.

Raqqa-2-300x158
Maya Saloum com Khalil

MAYSA SALOUM ENTREVISTA KHALIL, UM VOLUNTÁRIO QUE REMOVE MINAS TERRESTRES.
Ele explicou que até recentemente, 90% daquela área estava coberta por minas terrestres. Algumas detonavam por um movimento detectado em um raio de 3 metros, outras tinham câmeras e outras ainda, explodiam durante tempestades. Ele viu um colega de trabalho morrer quando uma delas explodiu; mas, apesar do perigo, ele não desiste de seu trabalho.
Ainda na Praça do Relógio, o reverendo Shaheen segura em suas mãos parte de um detonador, e comenta:

“O Diabo traz uma mensagem de morte,
mas Jesus traz a de bondade e de vida eterna”.

 
COMO OS CRISTÃOS DEVEM ORAR
O pastor Nizar Shaheen pede: “Orem por esta nação – peçam a Deus que a proteja, abençoe e traga de volta a bondade, devolvendo-lhe o que lhe foi roubado e lhe restaurando as perdas sofridas”.

Em seguida ele mesmo orou: “Senhor, retenha os espíritos malignos, os espíritos de destruição e de morte. Oramos para que a paz e o amor inundem este país e cada coração; e que a luz de Jesus brilhe em toda a parte. Que as bênçãos do céu venham sobre este lugar compensando toda a dor e curando todas as feridas”.

com as crianças sobreviventes em Raqqa
com as crianças sobreviventes

ESPERANÇA PARA O FUTURO
O diretor do SAT-7 para os canais árabes, George Makeen, acredita que há sinais de esperança para o futuro da Síria. Ele diz:

“Raqqa foi reduto do Estado Islâmico, e o fato de que uma equipe conseguiu visitar e entrevistar as pessoas aqui, passa a mensagem de que há um futuro para a devastada Síria. Ao mostrar a destruição e a dor pelas quais este povo passou, nossa intenção é pedir que as pessoas orem por uma reconstrução, não somente da cidade, mas também das vidas que foram abaladas em suas raízes. Enquanto a guerra está terminando, a caminhada para a reconciliação nem mesmo começou, e será um caminho longo e difícil que precisa de pessoas, orações e trabalho duro.”

Se você quiser participar do sustento do SAT-7 para levar mais esperança a lugares como Raqqa,
por favor, clique abaixo e faça sua contribuição.