O marco deste ano, o Dia Internacional da Mulher (8 de março) destaca o doloroso e lento progresso do mundo em direção à igualdade entre homens e mulheres e o poder da nova geração para impulsionar mudanças. Neste momento divisor de águas, mulheres em todo o Oriente Médio – onde o progresso tem sido mais lento em algumas medidas – estão se pronunciando sobre a SAT-7, extraindo poder de sua fé cristã para exigir direitos iguais que são inteiramente delas.

Os canais cristãos árabe, persa e turco da SAT-7 oferecem a mulheres e meninas uma plataforma poderosa para serem ouvidas, equipar e encorajar uma a outra e liderar mudanças sociais. Como marcamos 25 anos desde que a Plataforma de Ação de Pequim estabeleceu um roteiro para o empoderamento das mulheres, as vozes daquelas que cresceram agora se juntam ao apelo em apoio a igualdade entre homens e mulheres.

“É a hora de uma nova geração de jovens, homens e mulheres, com a orientação e a graça de Deus para trabalharem juntos pela igualdade entre homens e mulheres no Oriente Médio e Norte da África; e a SAT-7 estará com eles, como plataforma e voz para contribuir para essa mudança tão necessária”, diz Rita El-Mounayer, CEO da SAT-7.

No Egito, essa voz é alta e clara no novo programa de entrevistas para jovens do canal SAT-7 ARABIC, You Enlighten Us (Você nos ilumina), que destaca uma iniciativa de empoderamento na zona rural do Egito. “Os meninos aqui podem receber educação, mas as meninas não são permitidas, porque ele é um homem. É por isso que não há igualdade”, diz uma jovem que participou do programa. “Quero sair, trabalhar e ver pessoas. Sinto que esse é o meu direito que não posso ter”, diz outra espectadora. No mesmo episódio, a conselheira Samah Ishak diz: “A sociedade colocou as mulheres em um papel limitado, mas Jesus mostrou na Bíblia como o papel das mulheres pode ser eficaz e vital”.

Na Turquia, o programa de notícias do canal turco da SAT-7, Worldview (Visão de Mundo) recentemente se manifestou contra o agravamento da violência contra as mulheres no país. A apresentadora Senem Ekener declara: “A sociedade como um todo precisa enfrentar isso. Isso nunca é algo que Deus aprova. Nada e ninguém criado a imagem de Deus deve ser vítima disso.” E no programa de discussão Turning Point (Ponto de Mudança), a apresentadora Gizem Düzgüner compartilha o que ela sente o que significa ser uma mulher hoje. “Significa trabalhar. Significa não desistir; perseverar, especialmente em nossa comunidade. Quando pensamos em mulheres, é isso que vem à mente.”

Fortalecidas por sua fé, as mulheres cristãs também estão falando poderosamente na Argélia. “Vimos muitas mulheres conhecerem Jesus e mudarem totalmente”, diz Karima Abdelfatteh, membro da equipe local da SAT-7. “A liberdade que elas sentem é extraordinária. Algumas mulheres mais velhas são tão corajosas; eles saem para falar sobre Jesus na rua. É incrível”, continua ela. “Minha oração é que as mulheres na Argélia sejam fortalecidas. Elas estão fazendo grandes coisas, sem serem apreciadas.”

Enquanto isso, no Irã, vários programas do canal SAT-7 PARS destacam questões que afetam as mulheres. O talk show Insiders, por exemplo, examinou recentemente as questões da MGF (Mutilação Genital Feminina) no Oriente Médio e Norte da África e o papel das mulheres no esporte, incluindo a posição de Kimia Alizadeh, medalhista olímpica que recentemente desertou do país, descrevendo-se como “uma das milhões de mulheres oprimidas no Irã”.

A LUTA QUE PRECISA DE TODOS

O impulso pela igualdade entre homens e mulheres precisa que todos nós, independentemente do sexo ou idade, sigamos a liderança dessas mulheres e nos unamos para a mudança. Há muito trabalho a fazer:

  • Globalmente, um novo relatório da ONU mostra que pelo menos 90% das pessoas têm preconceito contra as mulheres
  • O Oriente Médio e o Norte da África têm a maior diferença entre homens e mulheres no mundo, com previsão de 139 anos para mudar (Fonte: Fórum Econômico Mundial)
  • Apenas 21% da força de trabalho da região são de mulheres
  • Em alguns lugares, a violência contra as mulheres está piorando: 474 mulheres na Turquia foram mortas por homens em 2019 (Fonte: We Will End Femicide)

Ore hoje para que as palavras das mulheres corajosas que você leu hoje tenham impacto sobre muitas pessoas que as ouvem no Oriente Médio e Norte da África. E, por favor, considere fazer uma doação ao trabalho da SAT-7 para capacitar as mulheres com a mensagem do Evangelho que transforma vidas, para lhes dar uma plataforma e defender seus direitos.