Após um aumento de ataques a igrejas e ameaças contra cristãos e minorias na Turquia, o canal SAT-7 TÜRK garante que os pedidos dessas comunidades por paz e justiça sejam ouvidos.

“Estamos preocupados com o recente aumento de ameaças e ataques contra cristãos e comunidades minoritárias”, diz Melih Ekener, diretor executivo do canal. “O departamento de notícias do SAT-7 TÜRK é um centro conectado a igrejas em toda a Turquia, tornando o canal uma plataforma importante para manter o que está acontecendo com essas comunidades aos olhos do público. Por meio do nosso programa de notícias WorldView (Visão do Mundo), também estamos defendendo a paz e a tolerância de Deus neste momento.” Enquanto o canal relata esses incidentes, ele também se une a movimentos pacíficos pelos direitos em todo o mundo, pedindo tolerância e unidade na sociedade.

O canal de notícias do SAT-7 TÜRK relatou pela primeira vez uma tentativa de incêndio criminoso na Igreja Armênia em Bakırköy, Istambul, em 10 de maio, compartilhando notícias do Patriarcado Armênio que, felizmente, nenhum dano ou ferimento foi causado. Ao ser preso, o suspeito parecia culpar armênios, ou não-muçulmanos em geral, pela pandemia do COVID-19, dizendo: “Eu queria queimar a igreja porque o problema do coronavírus veio até nós por causa deles”.

Este ataque foi seguido pelo vandalismo de uma segunda igreja de Istambul, na qual a cruz do edifício foi removida. Esse incidente foi relatado no WorldView (Visão do Mundo) junto com as notícias de que ameaças de morte haviam sido enviadas por email à Fundação Hrant Dink, uma organização que promove os direitos humanos e minoritários como parte de uma “Turquia justa, livre e igual”. A fundação continua o legado de Hrant Dink, jornalista armênio-turco assassinado em 2007, a viúva de Dink, Rakel, e os advogados da fundação também receberam ameaças de morte.

Falando no WorldView, o apresentador Volkan Er reconhece o clima geral de medo e incerteza na Turquia. “A situação atual é tão frágil que as pessoas estão procurando por alguém”, diz ele. “Durante a pandemia, o que consideramos os grampos da sociedade – como empregos, rotina e economia – se tornaram frágeis. Tudo em que confiamos foi levado embora.” No entanto, diz o colega apresentador Senem Ekener, “[O aumento da violência] não é uma situação artificial. Conhecemos em primeira mão o clima de ódio e seus efeitos devastadores na Turquia e nas igrejas expostas a ele. Esperamos e oramos para que esses ataques não se repitam.” O programa também compartilha a declaração oficial da Associação de Igrejas Protestantes, que diz: “Repreendemos esses atos dirigidos contra cristãos e minorias, que visam criar um ambiente de ódio e fazer com que as pessoas se sintam inseguras em seus próprios lares e lugares de adoração.”

Os apresentadores então se voltam para a Palavra de Deus, incentivando os espectadores cristãos e demonstrando aos não-cristãos que os cristãos defendem a paz, a tolerância e a unidade. “A Bíblia é uma autoridade em nossas vidas, porque fala claramente dos eventos que acontecem hoje. Vemos em Atos 10 que Deus não faz distinção entre pessoas diferentes”, diz Senem. Ela explora a visão recebida pelo apóstolo Pedro no livro de Atos, que o levou a dizer: “Deus me mostrou que eu não devo chamar ninguém de impuro ou imundo” (Atos 10:28). Senem conclui: “Quando voltamos o rosto para a Bíblia, vemos como Deus remove todas as barreiras e vemos Seu chamado para a paz.”

Links

https://hrantdink.org/en/announcements/2414-public-statement.

https://www.protestankiliseler.org/?p=983