Na véspera de Yalda (21 de dezembro), a noite mais longa do ano, os iranianos tradicionalmente se reúnem com amigos e familiares para celebrar o solstício de inverno e a vitória da luz sobre as trevas. Os cristãos iranianos, no entanto, testemunharam o triunfo da luz de Cristo sobre as trevas do sofrimento repetidamente neste ano desafiador.

A véspera de Yalda tem um lugar especial na cultura persa e muitas vezes representa períodos de adversidade na poesia persa. Como a véspera de Yalda, o ano passado foi longo e escuro para muitos iranianos.

“O coronavírus infelizmente teve uma influência destrutiva nas pessoas”, compartilha Puran, uma mulher espectadora da SAT-7. “As pessoas estão com medo e sob estresse, e muitas estão desempregadas e deprimidas. Todo mundo está enfrentando algum tipo de colapso. Minha vida também foi danificada; meu marido está desempregado há quase um ano e, durante esse tempo, não tivemos renda. Eu envelheci e estou quebrada por causa da pressão.”

Apesar das dificuldades do ano, os testemunhos dos cristãos do Irã falam da esperança que encontram em Jesus Cristo, a luz do mundo que nos guia nas trevas da dor. Puran prossegue, dizendo: “No ano passado, só consegui resistir confiando no Salmo 91, ao orar e clamar por minha família e pelo povo de meu país. Obrigado por orar por mim, sinto que estou sendo fortalecida por meio de suas orações.”

“Direi do Senhor: ‘Ele é meu refúgio e minha fortaleza,

meu Deus, em quem confio.” – Salmo 91.2

E Mahdad, um espectador da SAT-7 do Irã, diz: “O coronavírus me levou a uma maior compreensão de como a fé em Jesus Cristo nos dá força. O coronavírus reduziu significativamente as reuniões com amigos, mas com Cristo não há solidão”.

Como a véspera de Yalda é celebrada pouco antes do Natal, os primeiros cristãos no Irã foram atraídos para esta celebração da vitória da luz sobre as trevas. Frequentemente associavam isso com o nascimento de Jesus Cristo; a palavra “Yalda” na verdade significa “nascimento”. Tradicionalmente, amigos e familiares no Irã se reúnem para celebrar a véspera de Yalda; no entanto, as restrições neste ano podem impedir ou limitar essas festividades, da mesma forma que as celebrações de Natal. Mas os cristãos no Irã estão familiarizados com o isolamento e as restrições quando se trata de sua fé, e sua esperança em Deus continua forte.

“Quando alguém fica alarmado e me diz: ‘Temos uma pandemia do coronavírus e você está sozinha, o que vai fazer?’ Eu digo a eles ‘Deus está comigo’”, compartilha Farimah, uma espectadora no Irã. “Que Ele esteja com todos como esteve comigo. Se o amarmos de todo o coração e de todo o nosso ser, reconhecendo o preço que Ele pagou por nós para que possamos invocá-lo como Pai, Ele nunca nos abandonará. Sim, existem tempestades, mesmo para nós, como cristãos; mas Ele está conosco!”

Ore

No período que antecede o Natal, muitos cristãos no Irã enfrentam uma perseguição cada vez maior e o risco de invasões em igrejas domiciliares aumenta significativamente. Por favor, ore por nossos irmãos e irmãs no Irã, para que continuem a colocar sua fé e esperança em Deus, para que possam encontrar comunhão uns com os outros e para que Deus os proteja das trevas no Irã.

Por favor, ore também pelas minorias étnicas cristãs no Irã, as igrejas armênias e assírias, enquanto celebram o Natal este ano. Que eles sejam uma luz de alegria e uma bênção para seus vizinhos e comunidades.

Você vai orar junto com o espectador do canal SAT-7 PARS Sepehr? Ele diz:

“Pai Celestial, sou muito grato por você estar sempre aqui comigo e por me dar força, coragem, amor e bondade. Não estou ansioso por nada e confio em você. Eu tentei tanto quanto pude cumprir o que você diz em Sua Palavra, e o Senhor me abençoou. Obrigado meu amoroso Senhor. Você me libertou da condenação e concedeu a sua paz. É tão lindo quando uma pessoa te vê, todas as coisas mundanas perdem seu valor. Pai, você é tão amoroso e gentil comigo e me aceita com todas as minhas falhas. Eu sou grato a você por tudo. Amém.”